quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Flores

Eis que hoje de manhã estava eu me arrumando pra ir pra aula quando ouço batidas na porta. Achei pouco provável que fosse na minha porta, afinal era muito cedo. Continuei me arrumando despreocupadamente. Uma meia hora depois, quando eu efetivamente botei o pé pra fora de casa, dei de cara com um pacote na frente da porta. Era uma caixona verde enorme e era pra mim. Não tinha remetente.

Peguei a caixa, entrei de volta e abri. Dentro estavam um vasinho de vidro, um buquê de flores, dois sachês de alimentos para flores recém-colhidas, instruções de como cuidar das flores e um cartão. O remetente? O Sr. Anônimo, também conhecido por aí como meu namorado. O motivo? Hoje faz três meses que eu vim pra cá. Isso significa que já faz mais tempo que eu estou aqui do que o tempo que falta pra eu voltar pro Brasil e nós morarmos juntos e sermos felizes para sempre até que a morte nos separe. :)


Mas na verdade pouco importa o motivo. Podiam ser flores pelo aniversário da morte do criador do Popeye, pela data da última aparição de N. S. de Fátima ou em comemoração ao aniversário da Margaret Thatcher. Podia até ser sem motivo algum. Só o que importa é que hoje eu ganhei flores de alguém que tá do outro lado do mundo e isso me deixou muito, muito feliz.

4 comentários:

Vida disse...

Ai, que lindo!

Ana Paula disse...

Se algum desconhecido lhe oferecer flores... Isso é um sistema de entregas que funciona!!!!

Nelci disse...

Que moral, hein????

Leo disse...

viu só? te mete!