domingo, 3 de outubro de 2010

Rapidinha

Preciso contar da feijoada que eu comi hoje no paraíso dos produtos brasileiros em Maryland, mas isso vai ter que ficar pra depois. Agora só quero comentar, enquanto ainda me lembro, que quarta-feira sentamos, baiano et moi, num bar em Georgetown pra tomar um vinho e comer uns petiscos e pediram pra ver a nossa identidade antes de servir o vinho.

Juro que se eu usasse Renew ia mandar uma carta de agradecimento pra Avon.

4 comentários:

Tinzia Menezes disse...

Então isso deve ser comum nos países de língua inglesa, onde eles tendem a levar as leis mais a sério. Também aconteceu comigo, nas poucas vezes em que comprei vinho na Irlanda. Se um dia esquecer sua identidade em casa, vá a uma loja de conveniência chinesa. Eles vendem álcool para qualquer criança de 12 anos, até pq a maioria dos adultos orientais tem cara de bebê.

Ah, fui fuçando uns blogs amigos e encontrei o seu... gostei muito do post sobre NY e resovi invadir. Estou me identificando com esse seu diário de viagem, dá até um certo arrependimento de nunca ter feito um. Espero que seu período em Maryland seja semelhante ao que o tempo em Dublin foi para mim: inesquecível.

Nelci disse...

Tassi.... tsc...tsc..

Lara Frutos disse...

ai, ai, ai... quem me dera fosse comigo! rs

Clark disse...

Coisa de país capitalista, Lara...