sexta-feira, 30 de julho de 2010

Consegui o roll-on!

Finalmente um dia agradável em College Park! Tava 22ºC quando eu acordei e não passou dos 30ºC. Fui pro laboratório de calça porque não agüento mais me congelar lá dentro, e saí ao meio-dia e às três da tarde e não passei calor na rua, mesmo tendo caminhado no sol. Uma bênção!

Ao meio-dia eu saí pra me embarafustar pelas prateleiras da McKeldin. Delícia! Fui pra pegar umas coisas e acabei achando outras ainda melhores. Saí de lá com quatro livros debaixo do braço e uma consciência cada vez maior de que eu não vou conseguir usufruir nem 5% do que a biblioteca me oferece.

De tarde fui pro centro pra comprar água. Sim, a minha água de casa tá sempre acabando. Aproveitei pra passar na loja de eletrônicos e comprar um limpador pro meu computador. Finalmente o Miles* vai poder tomar um banho! Depois fui na CVS pegar água e garimpar um sabão em barra ou um daqueles líquidos pra lavar calcinha no banho e um desodorante roll-on. Fiquei meia hora rodando todas as prateleiras, bisbilhotando absolutamente tudo nos mínimos detalhes. Resultado: achei um roll-on hipoalergênico sem perfume de marca desconhecida e só. E a água, claro. Aproveitei também pra pegar uma escova de dentes porque vi que tinha a que eu gosto.

Subi de volta pra universidade com o galão de água (um galão tem exatos 3,73l) e só no meio do caminho lembrei que tinha os livros também pra levar pra casa. Graças a essa combinação de fatores, descobri o melhor jeito possível de vir pra casa: pegar o shuttle que passa praticamente na frente do Marie Mount, fazer a volta com ele e descer praticamente na frente de casa. Pronto, podem me chamar de sedentária, mas é isso mesmo que eu vou fazer. Isso implica necessariamente ficar no laboratório até quase às seis da tarde, o que hoje significou ser a última a ir embora. Mas tudo bem, melhor isso do que camelar sacola pesada no sol pra cima e pra baixo. E além de tudo ainda pude sentir novamente a delícia de chegar em casa e o apartamento estar fresquinho porque o ar condicionado funciona. Não tem preço.

Ah, e fazendo a volta com o shuttle passei na frente de umas partes do campus que eu não conhecia ainda, como a Campus Farm, que é a fazenda (!) do campus. Sim, tem vacas e tudo o mais. Sim, as vacas são ordenhadas e do leite delas é feito um sorvete que a gente pode experimentar no centro de visitantes. Preciso ir tirar fotos da fazenda E provar o sorvete qualquer hora dessas. Ouvi dizer que é muito bom.

Notícia esquilística do dia: descobri que o guincho que eu escuto todo dia não é de algum passarinho exótico. É o barulho dos esquilinhos. Agora tudo faz sentido na minha vida.

* Pra quem não sabe, o Miles é o meu computador.

4 comentários:

Anônimo disse...

que bom que tu achou o desodorante! E melhor ainda que tu não teve que ficar camelando no sol com sacola... :)

Vida disse...

N tem como comprar água em naquele garrafão grandão que tem aqui no Brasil? Tomo 2 litros por dia, ia ter que comprar água todo dia aí...

Ana Paula disse...

Os esquilos cantantes!!!

Leo disse...

pois é, Vida, aqui não existe galão de 20 litros. o povo é preguiçoso, todo mundo compra um zilhão de garrafinhas de 500ml, só pra não precisar ficar enchendo garrafas menores. é o cúmulo do sedentarismo!

Ana, começo a achar que o elenco de Alvin e os Esquilos mora na Universidade de Maryland!