sábado, 14 de agosto de 2010

Habemus baiano

Hoje faz um mês que eu cheguei aqui. E hoje finalmente chegou o meu irmão baiano, com precisamente um mês de atraso (pra fazer jus à raça hehehehe). Já as malas dele resolveram dar mais uma passeada antes de chegar. Especula-se que foram pra Índia, mas não sabemos ao certo, pode ser que tenham ido pra Vegas.

O baiano veio até aqui em casa de ônibus, seguindo o itinerário indicado pelo site da empresa de ônibus daqui, a MetroBus. Pra percorrer cinco milhas de distância tem que pegar dois ônibus, mas pelo menos a precisão dos horários é assustadoramente... precisa: ele desceu do ônibus exatamente às 15:30, como indicado no site. Welcome to America.

Depois de conversarmos um pouco saímos pra dar uma volta pela universidade e pelo centro de College Park. Finalmente pude bater uma foto na placa da Campus Dr.:

Vontade de rebobinar o blog pra botar a foto no primeiro post

Também consegui fotos com o famoso Testudo, que eu tinha prometido postar aqui:

Olha o meu tamanho perto da McKeldin!

Agora mais de pertinho :)

Descemos pela Campus Dr. até o pórtico principal de entrada da universidade, que eu também tinha dito que ia fotografar pra mostrar pra vocês. Ei-lo:

Da próxima vez eu atravesso a Route 1 pra bater uma foto dele de frente

Caminhamos pela Route 1 em direção ao centro e deu pra tirar uma foto do M-Square de longe:

Olha que bonito. E tinha pessoas jogando futebol!

Chegando ao centro, ocorreu ao baiano que seria prudente comprar umas duas camisetas e cuecas, caso as malas se demorem pelo mundo. Fomos, então, na única loja de roupas que não é a da Adidas. Eu já tinha falado pra vocês que só tem a Adidas e as lojas que vendem roupas da universidade, né? Pois é, eu tava enganada. Uma dessas lojas, que fica no "shopping center" de College Park, é na verdade uma loja dita de roupas populares. Sim, é exatamente isso que vocês pensaram.

Só tive coragem de olhar a parte masculina. Roupas muito baratas, é verdade, mas muito mal-feitas, modelagens horríveis (mesmo as camisetas), tecidos péssimos, estampas de mau gosto e tudo de tamanhos gigantescos - XXXL tinha aos montes. No início achei que a gente tava na parte das roupas pra gordos, mas chegamos no fundo da loja e as roupas pra magros não apareceram. Só tinha roupa de mano, e as cuecas então nem se fala. Boxers com estampas ridículas e que pelo tamanho mais pareciam bermudas, e cuecas slip que poderiam facilmente passar por aquelas faixas que os lutadores de sumô usam. O "acúmulo" do mau gosto. A gente não conseguia parar de rir dentro da loja!

No fim o coitado do baiano catou duas camisetas das menos horrorosas e um pacote de cuecas que a gente não faz idéia se vai servir nele ou não. E nem saberemos tão cedo, porque ele foi embora e deixou as sacolas com as compras aqui, em cima da mesa da sala.

Nota esquilística do dia: pela primeira vez vi um esquilo fora da universidade. Ele tava aqui nos Graduate Hills. E entendi por que tem tantos na universidade: tem muitas árvores que dão nozes, iguais às que a gente vê nos desenhos do Tico & Teco. Agora tudo faz sentido.

6 comentários:

Anônimo disse...

Legais as fotinhos ;)

Vida disse...

Ufa, notícias do amigo, enfim... As malas costumam andar sem os dnos em viagens internacionais, né? Parece algo típico..

*** A baiana aqui que deixar registrado que não gostou da piadinha sobre o atraso de bainos, okeeeeeeeeeeeeeeey????

Nelci disse...

Oh! Depois das "brontole", post bem humorado.....muito bom!

Clark disse...

Respondendo a grande questao filosofico-estetico-anatomica: as cuecas deram sim. rs

Ana Paula disse...

Depois a pessoa se espanta quando não acreditam que ela é brasileira... Tá quase tão branca quanto eu, criatura!! hahahahahahha

Leo disse...

mas Ana, quando é que eu fui menos branca do que isso? hahahahaha!