quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Mais temporal

Depois da tempestade veio o calor. Imediato e insuportável. E junto com ele a ameaça de mais tempestades ao longo do dia. Some-se a isso a potencial continuidade da falta de água no Marie Mount e vocês hão de entender por que eu fiquei em casa hoje. Não recebi nenhum e-mail sobre a situação do abastecimento de água, então resolvi não arriscar, especialmente sabendo que a chance de novas chuvas e trovoadas era grande e isso poderia implicar ter que tomar um banho de chuva pra poder ir no banheiro.

Buenas, isto posto, resolvi aproveitar que ia ficar em casa pra ir no Shoppers comprar água e mais umas coisinhas pra semana. Saí pra pegar o shuttle das 12:20 e dei de cara com um policial comandando o trânsito no cruzamento que eu preciso atravessar. É um cruzamento normalmente perigoso, tem carros vindo literalmente de todos os lados e indo literalmente pra todos os lados, sem contar que nos Estados Unidos é permitido entrar à direita com o sinal vermelho. Ainda bem que a maioria dos motoristas respeita os pedestres e dá a vez; se fosse no Brasil ninguém nunca conseguiria atravessar um cruzamento. Com os semáforos inutilizados pelo temporal a coisa ficou pior ainda. E o engraçado é que o policial não tinha nem um apito nem nada. Todos os carros paravam ao ver que o semáforo tava pifado, e aí policial só gritava "vem vocês!", "agora vocês", "tá indo pra que lado? pra lá? pode ir!", e, claro, "go ahead, Mam" - no caso, eu.

Fiz as minhas comprinhas de sempre: água, batata, rabanete, cebolinha, iogurte, uma garrafa de coca-cola de um litro e meio (finalmente achei garrafas avulsas que não fossem de 3 litros hehehe), pão de forma pra comer tostadinho de manhã, um pacotão de Lays com teor reduzido de sal, tomate seco e... tchan tchan tchan tchan... café Melitta!!!! Quase saí gritando e pulando mercado afora quando vi!!! É bem diferente do que a gente tem no Brasil: vem em lata, são menos de 400g e os tipos são diferentes. Tinha o clássico e o 100% colombiano; como o clássico deles aqui é uma água suja, comprei o 100% colombiano, que promete ser escuro e intenso. Veremos! Atualmente eu tou tomando um café que é até bonzinho, mas precisa muito pó pra ficar do jeito que eu gosto. Abri o saquinho no final da semana passada e já foi mais da metade. Olha aí:

A embalagem...

...e o conteúdo: mais grosso, mais escuro, mais homogêneo.

Procurei um veneno pra imunizar o meu quarto contra bichos-estranhos-que-parecem-lacraias, mas só tinha veneno pra jardim, veneno pra mosca e veneno pra formiga. Nada parecido com Rodox.

Na saída do mercado, enquanto eu esperava pelo shuttle, fui abordada pela primeira vez por uma pessoa pedindo dinheiro. Foi um tiozão gordo que tava sentado numa sombra perto da parada e que tinha a maior pinta de malandro: camisa meio aberta, medalhão no peito, gingado e sotaque latinos. Pediu um dólar. Eu realmente não tinha, então sorri pra ele e falei "desculpa, tou sem dinheiro hoje". Ele falou "oh, that's ok" e voltou pra sombrinha dele. Confesso que levei um certo medo, aliás, eu detesto ficar naquele ponto porque as pessoas que transitam por ali não têm cara de pessoas honestas e confiáveis, se é que vocês me entendem. Na verdade a zona toda aqui do condado de Prince George é bem mais pobre que outros lugares que eu já vi, tem muito imigrante latino e muita gente desocupada, aquela gurizada adolescente-quase-adulta cheia das malandragem, que fica parada pelas esquinas, sabem? Pois é. Mas nem tudo são espinhos. Uma guria passou por mim enquanto eu tava na parada e me disse que gostou da minha camiseta (eu tava com uma camiseta que eu comprei na feira da antena em Brasília, que tem uma frase do Maiakóvski e um coração desenhado).

Agora começou outra chuva com toda cara de quem vai virar temporal. Pra melhorar, a Azadeh resolveu dar uma festa pra não sei quantas pessoas hoje sem aviso prévio e encheu a minha única prateleira na geladeira com quatrocentas latinhas de Coca zero, todas bem jogadas por cima das minhas coisas. Não fiquei muito feliz.

3 comentários:

Anônimo disse...

Que bom que tu encontrou o café melita..
Tomara que preste...
Beijo

Leo disse...

tomara MESMO!

Ana Paula disse...

Se eu te disser que foi só neste post que eu li o nome da tua colega certo, tu acredita? Juro que até hoje eu lia Azedah, e a partir daí tudo mudou na maneira de eu visualizar a pessoa.